Por que o nome Davos está tão falado nestes últimos dias? E por que é tão importante o que é falado por uma autoridade brasileira neste fórum?

A história do Fórum Econômico Mundial de Davos teve inicio em 1971. Klaus M. Schwab, então Professor de política empresarial na Universidade de Genebra convidou 444 executivos de empresas da Europa Ocidental para o primeiro Simpósio Europeu de Gestão realizado no Centro de Convenções de Davos que havia sido recentemente construído. O objetivo era introduzir as empresas européias nas práticas de gestão dos EUA. Desta forma, Klaus fundou o Fórum de Gestão Europeu, uma organização sem fins lucrativos localizada em Genebra, que virou um compromisso anual, no mês de Janeiro.

Eventos ocorridos em 1973, como o colapso do mecanismo de taxa de câmbio fixo de Bretton Woods e a Guerra Árabe-Israelense levaram a reunião anual expandir seu foco para questões ligadas a economia e a área social. Assim, líderes políticos foram convidados pela primeira vez para Davos em janeiro de 1974.  

Em 1987, o Fórum de Gestão Europeu passou a ser chamado de Fórum Econômico Mundial e ampliou sua visão para fornecer uma plataforma para resolver conflitos internacionais.

Ao longo dos anos este Fórum se tornou importantíssimo pelo fato de ser considerado um local neutro, onde grandes lideres políticos resolvem suas diferenças. 

            Em 2008, Bill Gates fazendo o papel de orador principal, ministrou a palestra ‘Capitalismo Criativo‘, que apresentava uma forma de capitalismo que funcionasse tanto para gerar lucro, como para resolver injustiças no mundo, usando as forças do mercado para suprir melhor as necessidades dos pobres.

Segundo informações do próprio Fórum, este evento se esforça para demonstrar empreendedorismo no interesse público global, mantendo os mais altos padrões de governança.

Quando um representante de um país se pronuncia neste Fórum, ele deixa um acordo implícito firmado, de que o país tomará medidas que sejam consideradas de interesse e melhoria global.

Em 1998, temos o primeiro relato de um presidente do Brasil neste Fórum. Nesta edição, o Brasil foi representado por Fernando Henrique Cardoso (Fonte: Portal G1, 2019). Ele rebateu críticas que citavam o Brasil entre os países vulneráveis à crise em curso na Ásia na época.

          Nestes últimos dias, o Brasil enviou o Ministro Paulo Guedes, que focou seu discurso em medidas que já haviam sido tomadas como a reforma da previdência e quando foi questionado por uma participante do evento sobre a agenda dos países para a juventude e o combate à desigualdade, ele respondeu que o governo vai implantar um programa de vouchers para educação na primeira infância como parte de sua agenda para o que chama de "combate à desigualdade". Guedes também disse que "nunca na história da humanidade tantas pessoas deixaram a pobreza em países como Índia, China e Vietnã. Eles estão escapando da pobreza usando as mesmas ferramentas que nós não estamos usando: mercados, competição”.

Guedes disse ainda que a reforma da Previdência aprovada no ano passado foi totalmente focada nos jovens, e citou a agenda de desoneração de salários para a contratação de jovens. Não falou que a reforma aumentou o tempo de contribuição da aposentadoria no Brasil, o que vai fazer com que os trabalhadores se aposentem mais velhos do que no sistema anterior, mas fez questão de lamentar que o fato de o sistema de capitalização na Previdência, proposto pelo governo, não ter sido aprovado pelo Congresso.

 

Matéria e edição: Jaqueline Vianna
Revisão: Cláudio Grecco, PhD
Foto: Denis Balibouse/Reuters 
Fonte:https://www.weforum.org
https://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%B3rum_Econ%C3%B4mico_Mundial

#gestaodoconhecimento
#knowledgemanagement
#ultimasnoticias
#news
#pgiempauta

Deixe um comentário

Nome .
.
Mensagem .

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados